segunda-feira, 27 de julho de 2015

resultado do torneio de damas da fesjd

Rogério Tavares sagra-se campeão do torneio de damas no clube Alvares Cabral, quem esperou um grande confronto entre Waldir Fracisco, Rogérinho e o Rogerão, vai ter que aguardar o próximo evento, Waldir estava irreconhecível no torneio, não conseguiu acompanhar os ponteiros, o único que ofereceu resistência foi o Rogerinho, perdeu sim, só que lutou bastante, no final teve que se contentar com o 2º lugar. O nível do torneio foi muito bom e a briga no segundo pelotão foi dura, quem foi campeão do segundo grupo foi o Francisco Alves Aderaldo(irmão do Adilsom), que jogou brilhantemente o torneio. Minha participação foi boa, teve 9 jogadores com 7 pontos e pelo critério de desempate eu fiquei em 11º, não gostei, fiquei meio decepcionado, esperava uma melhor colocação, pois perdi logo na segunda rodada e cometi um erro incriável com o Liliu, empatando a partida. No geral o torneio foi muito bom, com 36 participantes, muita descontração, posso dizer com certeza que foi uma grande festa da federação que perdeu muito tempo em não organizar esse tipo de evento, que tem como finalidade, reunir e fortalecer os laços de amizade entre os damistas, é logico que tem sempre uma maça podre no meio, só que isso não apaga o brilho do evento. Gostei muito da organização, lógico que teve contra tempos como o problema no emparceiramento na ultima rodada, pois o sistema todo travou e não deu tempo de salvar a ultima rodada, só que tudo foi resolvido por nosso amigo Alexander, tudo isso foi um grande ensinamento, para que nas próximas edições, esses problemas não acontecerem novamente.

fotos do evento no facebook

domingo, 5 de julho de 2015

entrevistando Abias Jacobsen

Ele é um garoto sonhador, inteligente e muito talentoso, escolheu jogar xadrez, sabe muito bem das dificuldades de se praticar esse esporte no Brasil, já tem jogo suficiente para enfrentar os melhores jogadores do ES, participa ativamente de torneios no ES e no Brasil. O caminho é longo e certamente terá muitas barreiras, só que ele tem muita força de vontade e sabemos que terá um grande futuro pela frente no xadrez, conseguirá ele trilhar o mesmo caminho que o polemico Jorge Bittencourt? vamos torcer muito para que ele tenha um grande sucesso pela frente, seja no esporte e na vida, é a renovação do xadrez Capixaba que pede passagem. Segue abaixo a entrevista com nosso pequeno grande campeão.

1-Qual o seu nome e idade?

Meu nome é Abias Jacobsen e tenho 14 anos de idade

2-Quando se interessou pelo xadrez e quem foi sua inspiração?

Eu me interessei pelo xadrez logo cedo, aos sete anos de idade. Tudo começou quando me motivei com o esporte por meio da escola, onde sempre jogava. Familiares, professores e amigos sempre apoiaram toda conquista, que comemorávamos juntos, como um time.

3-Qual é a sua metodologia de estudo?

Eu treino cerca de 02h:30m por dia. Estudo alguns livros, como: Estratégia Moderna em Xadrez, de Ludek Pachman. Mas na maior parte do tempo estudo as apostilas e exercício que meu treinador me propõe. Assim como vários tipos de finais, táticas e aberturas e muitas de suas variantes.

4-Quem treina você?

Meu treinador é Julio Lapertosa Viana, de Belo Horizonte -MG

5-Até onde quer chegar jogando o xadrez?

Eu pretendo chegar o mais longe que puder com o xadrez. No futuro, ainda participar ativamente de torneios internacionais e progredir com bons resultados. Penso também em um dia ainda poder viver com o xadrez, estudando, praticando e participando de torneios.

6-Qual a sua chance de chegar à elite do xadrez?

Estudo sempre para alcançar ainda um dia a elite do xadrez. Se praticar, considero que tenho algumas chances. Mas indiferente a isso, também estudo para me divertir e aproveitar o tempo praticando um esporte que gosto e que me faz bem.

7-Qual é o seu passa tempo favorito depois do xadrez?

Meu passa tempo favorito após o xadrez é o futebol, ou mesmo montar o cubo mágico.

8-Onde você estuda e que séria cursa?

Eu estudo na escola João Lauvers, em São João do Garrafão- SMJ, no 9º ano.

9-O que acha do xadrez capixaba?

O xadrez capixaba está em um nível muito bom, torneios distribuídos em um nível alto e jogadores muito fortes. Mas acima de tudo, muitas pessoas participam ativamente de quase todos os torneios, pois gostam do esporte que praticam. Viajam durante muito tempo para chegar a certo local, e jogar xadrez!

10-Quais as mudanças que você gostaria de ver na fesx?

A fesx está caminhando muito bem. Existe uma certa desorganização no plano anual de torneios, não havendo sequer data ou local definidos. Mas considero essa questão uma causa passageira, pelo motivo da mudança do presidente. Logo, tudo se voltará ao normal e os torneios serão distribuídos corretamente ao longo do ano. Outra sugestão é que a fesx poderia trazer mais torneios nacionais ou mesmo internacionais para o estado, como já está tentando fazer.

11-Como você concilia o xadrez com a escola?

Para conciliar o xadrez junto com a escola, tento dividir igualmente o meu tempo. Considero as responsabilidades da escola muito importantes, e estudo xadrez quando estou em meu tempo livre. Normalmente, estudo xadrez à noite, e de manhã faço meus deveres da escola. Quando sobra tempo, estudo mais um pouco de xadrez!

12- Tendo ciência de que para se jogar xadrez no Brasil é complicado, como você pretende vencer essa barreira?

Jogar no Brasil não é fácil, principalmente porque no país em que nos encontramos esse tipo de jogo não é tão popular e raramente há patrocínio por empresas nacionais. Por isso, para se vencer esta barreira, devemos buscar recursos partindo do lugar onde vivemos. Muitas vezes conseguir ajuda por meio de empresas locais ou de alguma instituição. Mas o mais importante é o apoio da família e o seu próprio esforço de alcançar objetivos e vencer obstáculos!

13- O que o xadrez representa para você?

O xadrez, para mim, é uma fonte de aprendizado. Pois com ele produzo imaginação, e assim crio raciocínio. O xadrez também me ajuda nos momentos difíceis: quando não estou me sentido bem ou quando estou aflito, trazendo-me paz, alegria, e dando-me uma nova forma de pensar e agir na vida.

 
biz.